Se você comer gengibre todos os dias por um mês, aqui está o que acontece com seu corpo!

Originalmente da China, o gengibre é uma especiaria poderosa e extremamente benéfica consumida por muitos anos. Pode ser de várias formas: fresco, seco, moído / em pó ou suco. É uma das especiarias mais saudáveis ​​do mundo, graças à multiplicidade de nutrientes e ingredientes bioativos.

Além do consumo diário, o gengibre também pode ser usado em medicina tradicional e alternativa. Se o seu incrível aroma e sabor delicioso não são suficientes para convencê-lo a incorporar gengibre em sua dieta, aqui estão alguns motivos científicos para começar a comê-lo regularmente:

1. O gengibre contém gingerol

Gingerol é um dos principais compostos médicos encontrados no gengibre. Suas poderosas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes tornam o consumo regular de gengibre muito benéfico.

2. O gengibre alivia a náusea, incluindo a doença da manhã

Uma pequena quantidade, entre 1 e 1,5 gramas, é suficiente para ajudar a aliviar vários tipos de náuseas, incluindo doenças matinais, enjôos e náuseas da quimioterapia.

3. Gengibre alivia dores musculares e dores musculares

Embora os efeitos não sejam imediatamente visíveis, o gengibre demonstrou aliviar a dor muscular e a dor muscular induzida pelo exercício (principalmente devido às propriedades antiinflamatórias).

4. O gengibre ajuda a combater a artrite

A artrite é uma condição crônica comum que ocorre com a degeneração das articulações, resultando em sintomas como rigidez e dor nas articulações. Infelizmente, a artrite é um problema de saúde comum. Um estudo realizado com pessoas com artrite do joelho mostrou que aqueles que consumiram extrato de gengibre eram menos propensos a dor ao longo do tempo e eram menos propensos a tomar analgésicos.

5. O gengibre reduz os níveis de açúcar no sangue e o risco de doença cardiovascular

Pesquisas emergentes sugerem que o gengibre pode ter propriedades efetivas contra o diabetes, ajudando a baixar os níveis de glicose no sangue, bem como o risco de doença cardiovascular em pacientes com diabetes tipo 2.

Embora este campo de estudo seja bastante novo, e mais pesquisas são necessárias para apoiar esta hipótese, os resultados deste pequeno estudo são promissores para ajudar pacientes com diabetes tipo 2.

6. Gengibre ajuda a digestão

Muitas pessoas sofrem de indigestão crônica (dispepsia), que provoca dor estomacal recorrente e desconforto. O pressuposto é que o fato de que o estômago está vazio com atraso é um fator determinante.

O gengibre prova ser um mediador eficaz para facilitar o “esvaziamento” do estômago, para que possa aliviar as pessoas que sofrem de indigestão e outros sintomas relacionados ao estômago.

7. O pó de gengibre ajuda a aliviar a dor menstrual

Ginger foi mostrado para ajudar a tratar muitos tipos de dor, incluindo dor menstrual. Durante um estudo, quando indivíduos do sexo feminino tomaram 1 grama de gengibre em pó durante os três primeiros dias do período menstrual, eles relataram sofrer alívio da dor semelhante ao efeito do ibuprofeno ou outros medicamentos. dores menstruais.

8. O gengibre pode causar uma queda no colesterol

Estudos em animais e humanos mostraram que o consumo de gengibre reduz significativamente os níveis de colesterol. As lipoproteínas de alto nível (LDL para “Lipoproteína de baixa densidade” em inglês), que pertencem ao colesterol “ruim”, podem ser afetadas pela sua dieta. Estes estudos indicam que o gengibre pode ajudar a combater alguns dos efeitos negativos desta dieta nos níveis de LDL, colesterol e triglicerídeos no sangue.

9. O gengibre pode ajudar a prevenir o câncer

Uma substância contida no gengibre pode ser útil para prevenir o câncer: [6] -glicerol. O gengibre cru contém grandes quantidades de [6] -glicerol, que teria propriedades anticancerígenas.

Embora a pesquisa atual não seja suficiente para confirmar esta hipótese, um estudo de 30 indivíduos humanos mostrou que a ingestão de 2 gramas de extrato de gengibre a cada dia tem um impacto significativo na redução do número de moléculas de sinalização pró-inflamatória. no cólon.

10. O gengibre melhora a função cerebral e ajuda a combater as doenças cerebrais

As doenças cerebrais são um problema sério, eles podem prevenir completamente a atividade normal e diária de uma pessoa. Algumas doenças, como a doença de Alzheimer, podem ter efeitos devastadores e incapacitantes. Alguns dos principais desencadeantes da doença de Alzheimer são o estresse oxidativo da inflamação crônica.

A pesquisa com animais sugere que os compostos antioxidantes e bioativos encontrados no gengibre podem ajudar a combater ou reduzir a inflamação cerebral. Outras pesquisas também indicam que o gengibre pode proteger os indivíduos do dano que o cérebro naturalmente sofre com a idade.

11. O gengibre ajuda no tratamento de infecções

Gingerol, o ingrediente ativo no gengibre, é conhecido por reduzir o risco de infecções. Demonstrou-se que o extrato de gengibre pode prevenir o desenvolvimento de diferentes tipos de bactérias e é muito útil para combater alguns deles, bem como doenças relacionadas a vírus, como gengivite e infecções respiratórias.

Gengibre x pressão alta

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), o uso do gengibre é contraindicado para pessoas com hipertensão. Acredita-se que o gengibre pode causar uma vasodilatação e consequente vasoconstrição, que prejudica o controle da pressão arterial.

Porém, alguns estudos em ratos demonstram que em pequenas doses o gengibre não altera a pressão arterial, pelo contrário, foi encontrado um efeito hipotensor, ou seja, que ajuda a diminuir a pressão.

Por isso, é importante se atentar ao consumo alimentar como um todo e avaliar as respostas individuais à ingestão do gengibre, dessa forma, pessoas que tenham pressão alta não devem consumir altas doses de gengibre, como em suplementos, sem acompanhamento médico, além de fazer uso moderado na alimentação.

Veja Também: Esta fruta está conquistando o mundo, elimina a anemia em 2 dias, trata o câncer, regula a diabetes e ajuda a emagrecer!

OBS: Este site fala de tratamentos naturais alternativos, portanto não substitui um especialista. Visite seu médico regularmente.

Os comentários estão fechados.