Saudade do meu Pai

Quando o sol ainda não havia cessado seu brilho,Quando a tarde engolia aos poucos. As cores do dia e despejava sobre a terra. Os primeiros retalhos de sombra. Eu vi que Deus veio assentar-se Perto do fogão de lenha da minha casa. Chegou sem alarde, retirou o chapéu da cabeça .E buscou um copo de água no pote de barro que ficava num lugar de sombra constante.cats

Ele tinha feições de homem feliz, realizado parecia imerso na alegria que é própria. De quem cumpriu a sina do dia e que agora recolhe a alegria cotidiana que lhe cabe. Eu o olhava e pensava: Como é bom ter Deus dentro de casa! Como é bom viver essa hora da vida em que tenho direito de ter um Deus só pra mim. Cair nos seus braços, bagunçar-lhe os cabelos, puxar a caneta do seu bolso . E pedir que ele desenhasse um relógio bem bonito no meu braço. Mas aquele homem não era Deus, aquele homem era meu pai. E foi assim que eu descobri .Que meu pai com o seu jeito finito de ser Deus Revela-me Deus com seu Jeito infinito de ser homem.
(Fe. Fabio de Melo)

3 Comentários para: “Saudade do meu Pai

  1. linda historia padre fabio de melo so quem tem deus no coracao e que sabe como seu era feliz mesmo com as dificuldades deus nunca lhe abodonou lhe peco que ore pelo meu marido que nao consegui se livrar da bebida eu tenho fe que deus lhe escutara peco sua bencao e que senhor fique na paz rutd dele e eduardo autuori de mello muito obrigada e fique na santa paz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.